Eis o Estado de Direito em ação! Comente! Opine!

Tropa de choque da PM invadiu na madrugada de hoje a Faculdade de Direito do Largo São Francisco. Cerca de 400 estudantes estavam no local desde ontem em protesto; 220 foram levados à delegacia
Fonte das Imagens: Apu Gomes/Folha Imagem e Vivi Zanatta/Agência Estado – http://noticias.uol.com.br/ultnot/album/070822_album.jhtm?abrefoto=6

13 comentários sobre “Eis o Estado de Direito em ação! Comente! Opine!

  1. A foto do jovem estudante de JOELHOS mostra como é forte a presença do TEOdeus dono da Faculdade. Presença autoritária despida de humanidade, convicta de que a Justiça e sua SERVA, se para os GRANDES a Lei e servil, para os menos favorecidos; É preciso ajoelhar. E o pior ainda, ajoelhou tem que REZAR. É lastimável a volta da Idade Média, onde senhores feudais dono das ideias, tenha que sobrepujar.

  2. De acordo com a filosofia liberal, o Estado de Direito entra em ação com o “uso legitimo da violência física” toda vez que o poder instituido for, de alguma forma, questionado, ou seja, qualquer manifestação que possa vir a tomar corpo o Estado tratará como um movimento “fora da ordem” e caberá a polícia ou ao exército a força intimidatória. Não nos esquecemos que a burguesia é uma classe históricamente revolucionária, que se consolidou no poder fazendo uso da violência ao mesmo tempo em que escamoteava os lemas de “Liberdade, Igualdade e Fraternidade”. Portanto, todo movimento social que afronte as instituiçôes burguesas, torna-se um afrontamento ao Estado de direito constituido e, alienado ou não, legitimado pelo povo.

  3. Qta barbaridade vocês escrevem. Gostaria de ver a cara dos Srs. se rolasse uma manifestação do Ruralistas na sala de aula que utilizam.Os “manifestantes” foram truculentos, impediram as aulas e barraram a saída dos estudantes.Ou seja, eles (vocês) acham que defendem o bem, o bom ou qq justo que passa pela cabeças iluminadas e se tornam detentores de direitos que nenhum estado democrático lhes dá.Convencer, argumentar que é bom, tá difícil?TRiste,

  4. Foram efetivamente 400 estudantes? De que curso, de qual faculdade? Onde consigo acesso ao que eles reivindicavam da Faculdade de Direito da USP?

  5. As fotos são tão revoltantes quanto a notícia. Pior ainda é ver a cobertura que certos jornais dão a notícias do tipo. Por exemplo, http://www.estadao.com.br/nacional/not_nac39060,0.htm ou http://www.estadao.com.br/nacional/not_nac37773,0.htmNa esteira da demonização dos movimentos sociais como o MST e do surgimento de movimentos golpistas do naipe do “Cansei”, vem a crítica pesada ao movimento estudantil universitário, de fora e mesmo de dentro da Universidade. Mas isso não é nenhuma surpresa…

  6. Grande Professor… como dia uma banda outrora contestadora… “Polícia para quem precisa, polícia para quem precisa de polícia…”Ah!!! e interessante a questão ae do curso de Direito da UEM!!!

  7. Caro(a),o blog nao aceita comentários sem identificação. Mesmo que escolha a opção “anônimo”, identifique-se…Obrigado.

  8. Fernando, o que nao se pode é reivindicar a lei e a autoridade numa hora e contestá-la em outra. Dentro da UEM se pede a lei e a ordem. Fora da UEM se contesta a lei e a ordem? Autoritarismo privado e libertarismo público?

  9. eduardo, destruir livros de uma biblioteca pública expressa o individualismo pequeno-burguês da elite brasileira – seja conservadora ou esquerdista – que vê o público como coisa privada.Expulsar na porrada uma manifestação política de parte da sociedade é assumir o caráter autoritário do Estado. Ou seja uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa!

  10. Uai, não era vc que estava defendendo prisão para quem rabiscasse livros em biblioecas? Que se deveria agir com mais rigor?Pq então chama a ação da tropa de choque de invasão?

  11. E mais uma vez fica a prova, a manifestação coletiva ou individual, só é permitida quando isso não incomoda ninguém.Mas fica a pergunta, porque que a polícia só invadiu na madrugada

  12. Estado de direito?Isso é só mais uma prova de que só permitido manifestar-se enquanto isso não incomode ninguém.E só uma pergunta, porque será que a invasão da polícia só aconteceu de madrugada?

  13. Esse fatos exemplificam hoje o que Marx escreveu em 1843. Diz o filosofo alemão: “A segurança é o conceito social supremo da sociedade burguesa, o conceito de polícia, segundo o qual toda a sociedade somente existe para garantir a cada um de seus membros a conservação de sua pessoa, de seus direitos e de sua propriedade. O conceito de segurança não faz com que a sociedade burguesa se sobreponha a seu egoísmo. A segurança, pelo contrário, é a preservação deste. (…) Nenhum dos chamados direitos humanos ulrapassa, portanto, o egoísmo do homem, do homem como membro da sociedade burguesa, isto é, do indivíduo voltado para si mesmo, para seu interesse particular, em arbitrariedade privada e dissociado da comunidade” (MARX, Karl. A questão judaica. São Paulo: Moraes, 1991, p.44). Desse modo é possível concluir que o envento citado não é uma afronta ao Estado de Direitos é o próprio Estado de Direitos em ação. Em ação pelo direito de segurança que abafa o direito de liberdade. No capitalismo os direitos se negam mutuamente. Eis o paradoxo burgês.

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s