14 comentários sobre “Vote em branco (Plebe Rude)

  1. Ih, gente, esse negócio aí é até muito fácil de definir. A sociedade brasileira é uma oligarquia, na qual o regime dito “democrático” é um luxo, que como tal seria facilmente restringido ou aniquilado se os oligarcas assim deliberassem, e acabou-se. Eu fico sempre surpreso quando constato que esse papo escandaliza o pessoal, é um negócio gozado, e preocupante também. Foi-se o tempo em que ser esclarecido, em termos políticos, era ser filiado ou eleitor de um partido. Lembrem-se de que o analfabeto político atual está inserido num processo de compra oficial de votos, e que um candidato, à presidência por exemplo, pode ser eleito no primeiro turno em grande medida a custa de esmolas, migalhas, benesses momentâneas. Os oligarcas tradicionais ofereciam cadeiras de rodas, dentaduras, cimento.
    E tem aquele discursinho realmente intolerável segundo o qual a Dilma é de esquerda e quem critica é “golpista”, esse papinho não apenas é ridículo como encobre muita coisa. O que temos aqui é um arranjo eleitoral semelhante ao que existe há décadas nos EUA: você tem dois partidos, com duas mitologias próprias, com duas grandes marcas publicitárias, com dois projetos de poder particulares, mas que na real são o mesmo partido. Qualquer um com o mínimo de boa vontade poderá ler os programas eleitorais e partidários das duas megaempresas da politicagem atual, e constatar que as diferenças são apenas cosméticas. É preciso desejar muito acreditar nesse ou naquele político famoso para não chegar à conclusão de que a luta PT X PSDB é uma varsa total, como tudo na “democracia” representativa.
    Quanto ao voto nulo, sabemos que não seria, por si só, capaz de parar o processo eleitoral. Outra coisa será quando tivermos, no futuro, um tipo de movimento social que ainda não existe, que procurasse constituir uma genuína alternativa política, realmente democrática, isto é, que defendesse a democracia direta aqui no Brasil, sem que os participantes fossem paus mandados de algum burocrata pequeno ou grande da direita ou da esquerda, sem aquela parafernália toda de partido político, primeiro como um esforço de formação política pelo menos entre alguns setores da população, e em seguida como uma forma de organização diferente. A democracia e o socialismo são irmãos gêmeos, e há muito que os dois estão desviados. O movimento pela democracia direta será um esforço pelo renascimento da República, por um lado, e pela instauração do Direito como uma frente de luta pela justiça social, com o povo efetivamente exercendo o poder por meio de conselhos políticos e pela internet. Teremos aí um movimento alternativo de verdade. E se alguém sentir vontade de dizer que isso tem nome e se chama Utopia, veja esta bela opinião do cartunista Latuff: “Utopia é o cara querer bater os os braços e sair voando como um passarinho!”.

    Saúde.

  2. Caro professor.

    Concordo com o Jeferson e o Eduardo. Voto em branco é a manifestação do eleitor de que não votará em NENHUM dos candidatos da eleição e um direito que deve ser preservado.
    Ao contrário do que disse a Doris, antes de ser uma negação da democracia, é, sim, a afirmação da VERDADEIRA democracia (que não vivemos).
    E aliás, que democracia é essa que me obriga a votar?
    Por isso creio que todas formas de manifestação do eleitor deverão sempre existir, e, assim, os votos nulo e em branco precisam ser preservados.
    Na eleição são considerados somente os votos válidos para a atual legislação eleitoral.

    Abraço.

    • Exatamente!
      Acho que o amigo ali não entendeu o contexto no qual inseri minha opinião.
      Não apoio o “boicote”, pois isso realmente de nada serve.
      Pela lei eleitoral, a elição só é anulada se ouver fralde não se ouver maioria de votos nulos.
      Isso que a maioria das pessoas não sabem e a nossa mídia golpista não esclarece!!!
      A lei teria que dar o real valor ao voto nulo ou brando no sentido de cancelar os candidatos disponíveis, cancelando a eleição, dispondo novos candidatos e nova eleição!!
      É muito claro que no Brasil é facílimo ocorrer troca de poderes entre interessados, a mídia faz e desfaz candidatos…
      A democracia no nosso país é só para os poderosos, eles decidem e o povo cai no conto do vigário…

  3. Prefiro jogar o jogo burguês.

    Ficar sentado,apenas lendo,refleindo e postando,sem a devida ação política,não adianta.

    Considero-me à esquerda,e a luta é necessária.

    Pessimismo a parte,a aglutinação dos excuídos em torno de um ideal revolucionário,por si só,não basta.

    A participação de todos no embate político talvez surta melhores efeitos no curto prazo.

    A Revolução Socialista está longe.O capitalismo,a contar as revoluções burguesas na Europa,tem apenas 200 e tantos anos.

    É tudo um processo.A URSS,a China,Cuba,entre outros,são,nada mais,que algumas experimentações do modelo Socialista.

    Um dia chegaremos à concretização dos nossos ideais.Pode ser que nem estejamos na vida para prestigiar a maravilha da perfeição.

    Enfim,a luta dá-se hoje,aos trancos e barrancos,chorando e sorrindo.É tudo questão de errar para acertar.

    • O que os socialistas não enxergam é que vislumbram um mundo hipotético impossível de ocorrer. Por que?
      Por que o problema não está em sistemas economicos ou politicos, está no homen.
      Enquanto existir pessoas que não se preocupam em ser seres humanos melhores e nem em ajudar os outros, não existirá sistema descente.
      A história prova e enfatiza as milhões de mortes provocadas pela mentalidade revolucionária, exemplificada em sua maioria genocida pelo comunismo/ socialismo!
      Ninguém tem solução para além de si mesmo, a partir do momento de se tomar um decisão para um conjunto, mesmo que seja duas pessoas (um casal por exemplo), essa decisão tem que ser discutida pelos dois interessados.
      A partir do momento que uma pessoa diz ter a solução para os problemas da outra, isso vira tirania.
      Ninguém é perfeito o suficiente para dar exemplo em 100% do tempo hábil, isso que esses comunistas não enxergam.
      E para piorar a situação, acreditam que os fins justificam os meios, pensamento podre e maquiavélico!!! Exemplo: FARC, Hugo Chavez, Fidel Castro, Stalin, Hitler, Mao Tsé-Tung, e tantos outros que tem como afinidade suas mentes revolucionárias doentias e são exemplos de assassinos!!
      Se todos seguissem o maior de todos os líderes que já viveram nessa terra, Jesus Cristo, não teríamos esse problema da mentalidade revolucionária que só tem afundado a humanidade!!!

      Eu apóio qualquer sistema que permita a livre iniciativa, a liberdade de expressão, o mérito, a honra e a vida.

      É tão fácil perceber essa diferença de valores!!!

      • Caro professor
        Infelizmente, não posso concordar com este posicionamento. Penso que é muito fácil criticar as instiuições políticas e apregoar “seja alguém, vote em ninguém” por um lado, e por outro se valer das estruturas de output do Estado. Em outras palavras, manifesta-se contra a ordem estabelecida, contra o atual jogo político, mas busca-se sempre usufruir dos direitos, das garantias e da sociedade criada por este modelo, quando interessa. A democracia ideal, o “governo do povo, pelo povo e para o povo” é feito apenas para anjos. Nós, homens, temos que nos conformar que a democracia é feita por homens e não anjos, que terá sempre seus problemas e contradições, e procurar executa-la da melhor maneira possível, e não boicota-la. Caso semelhante aos dos partidos de esquerda que concorrem nas eleições. Muitos pregam que a única solução para o país é a Revolução. Ora, porque não faze-la então, ao invés de entrar no jogo eleitoral estabelecido e buscar o poder pelas vias do voto?
        Além disso, penso que o voto nulo sem uma devida mobilização popular em seu favor não pode ser uma atitude sensata. Assim penso porque o voto nulo não representa mais do que uma pequena minoria dos votos na maioria das eleições, que acaba por não gerar nenhum efeito fatídico no processo eleitoral. Ele só poderá alcançar seus objetivos se a maioria dos eleitores votarem nulo, o que prescinde necessariamente de campanha, de mobilização em prol do voto nulo. O resultado prático deste procedimento nada mais é do que o puro alívio de consciência, de “fiz minha parte”, sem um real compromisso com o resultado que o voto nulo pela maioria pode proporcionar. Na verdade, ouso até dizer que o voto nulo puramente individual, funciona mesmo segundo a “lei das equivalencias das janelas” de Brás Cubas, onde “o modo de compensar uma janela fechada é abrir a outra, afim de que a moral possa arejar continuamente a consciência”.

  4. Nada disso, o negócio é votar nulo ou não ir votar, não apenas para marcar posição, mas para ajudar a criar um estado de coisas em que essa tal democracia representativa, que não é democrática em aspecto nenhum, comece a entrar em questão. Porque, como andou escrevendo aquele húngaro porreta, o Mézsáros, assim como existe uma crise estrutural da economia capitalista, existe uma crise estrutural da política formalizada como representação. O que falta neste momento é um movimento social organizado em torno de um projeto de democracia direta, contra todo o estabelecimento político atual, em defesa da soberania popular sem intermediários, e consequentemente sem relações a dinheiro, sem impérios pequenos e grandes, e principalmente sem essas agência de captação de votos que são os partidos políticos, com seus conchavos, com seu marquetchim, com suas traições e seu cinismo completamente intolerável. Um movimento assim surgirá mais cedo ou mais tarde, trata-se de uma tendência do século.

    Saúde.

  5. Concordo com o Fernando.
    Para mim, o voto em branco é uma negação à democracia. Ainda miais para a geração que durante 2 décadas tanto “batalhou” pelo direito de votar!

    Abraço,
    Doris

    • Claro que não!
      O voto em branco significa…”Não voto em NENHUM dos anteriores”.
      Por exemplo, nenhum dos candidatos a presidência é um conservador de direita.
      Todos são defensores do “Socialismo”, claro que o socialismo que eles acham ser socialismo…
      Pois bem, por princípio não posso votar em nenhum dos candidatos a presidência. Pois sou cristão, conservador e capitalista.
      O grande problema é que a lei permite que o sistema de voto seja controlado sem percebermos. Pois, por exemplo, se 60% da população votasse em branco, mesmo sendo maioria, 20% na Dilma e 10% no Serra. A Dilma seria eleita, pois só é contabilizado os votos em algum candidato. Isso é puro controle!!!!
      O correto seria, já que a maioria votou em branco, cancelar a eleição e ter disponível novos candidatos.
      ISSO É DEMOCRACIA!!!

  6. Prezado
    … o problema é o que o voto em branco significa…!
    Ele significa que eu, na verdade, estou dando meu voto para o candidato ou legenda mais votado e, nesse sentido, eu estaria me abstendo de expressar minha opinião, embora legitimando a opinião da maioria.
    É a famosa máxima “torcer para o time que está ganhando” ou a clássica “maria vai com as outras”.
    Em última análise, o voto em branco é um voto incompleto do ponto de vista de exercício pleno da cidadania e de expressão da sua vontade, só superado negativamente pela anulação do voto.
    Na falta de escolha, portanto, e nivelando por baixo, é “menos ruim” votar no candidato “menos ruim”. Mas aqui, ao menos, nosso voto é ganho e pleno!
    A alternativa lógica e comprometida implica nossa própria candidatura!
    Abs
    Fernando Hello

  7. Concordo com o Ivan Luiz, temos que escolher para evitarmos o pior.
    Agora que o nível dos políticos brasileiros de uma forma geral é medíocre, isso é claro.

    Se ao menos nossa lei eleitoral permitisse a exclusão de todas as opções e criassem novas, isso seria maravilhoso…sonho meu!

    Saudações!!!

  8. Ozaí, sei que continuas apregoando o voto nulo. Eu questiono a obrigatoriedade de votar. Quer dizer, não só isso. O fato de não poder votar no candidato cujo perfil idealizo, também me incomoda. Voto apenas para derrotar quem eu não quero que se eleja.
    Me incomoda também perceber o conluio entre os poderes que apodrecem nossas instituições. E essas se deturpam porque os agentes públicos e políticos que operam o estado, por ação ou omissão, as levam a essa situação. Não vejo esses agentes, em sua maioria, agindo – ou se omitindo – assim porque queiram. São direcionados pelas forças que sempre tiveram o poder. Chego a dizer que estamos vivendo hoje um novo arbítrio, agora sob o jugo dos bacharéis. As “Elites Secretas” é que definem as regras, os protagonistas e a forma de se livrarem dos estorvos. A grande imprensa aí está para que vejamos o que eles querem que vejamos, em contra-posição a blogosfera chegou para permitir que a realidade seja vista conforme a percepção de cada um. Acredito que, com o tempo, alguns assassinatos não serão noticiados como suicídios. E as academias também perceberão.

  9. Mas que video tão inquietante ….lamentável….

    Votar é um dever cívico …..implica liberdade de se escolher de acordo com as opções

    políticas e sociais .

    Ninguém é sinónimo de anarquia que acaba por arrastar qualquer tipo de totalitarismo

    E basta de totalitarismos …..parece que se precisa de recuperar valores e não de rótulos .

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s