V Simpósio Internacional Lutas Sociais na América Latina

Clipboard01Semana passada participei do V Simpósio Internacional Lutas Sociais na América Latina, organizado pelo Grupo de Estudos de Política da América Latina e realizado na Universidade Estadual de Londrina (UEL). Foi uma excelente oportunidade para rever os amigos e amigas, companheiros de jornada, conhecer novas pessoas e aprender. O aprendizado é permanente, basta estar aberto a ouvir, a assimilar novos conhecimento e novos olhares sobre o saber, deixar-se instigar e descartar a postura arrogante dos que se imaginam doutos em plenitude.

As conferências, mesas coordenadas, seminários temáticos, GTs e mini-cursos, ocuparam os meus dias. Atividades na manhã, tarde e noite. Algumas instigantes, outras nem tanto. Há momentos que o discurso parece fechado, restrito ao falante e aos poucos interessados na temática. Em outros momentos, a fala atinge o ápice dos sonhos revolucionários e contagia os presentes. Há, também, a fala ardente e contagiante, porém irrefletida e demagógica, que se propaga pelo espaço e alcança mentes que parecem abdicar da reflexão crítica; olhares concentrados, magnetizados; os sentidos rendem-se ao orador e o absurdo torna-se imperceptível. Extasiados, falante e ouvintes completam-se numa unidade que beira o irracional. Também não falta o discurso legitimador de verdades obsoletas que perseveram. Há, felizmente, o discurso esclarecedor e instigante, para além da indução acrítica. É um caleidoscópio, experiências reveladoras que, embora diversas, complementam-se. O saldo é positivo!

Subjetivamente, alternam-se sentimentos de identificação e estranhamento. As relações de amizade construídas durante anos, a sensação de que caminhamos as mesmas veredas, os objetivos comuns, etc., fazem-me sentir parte da “irmandade” dos que “professam a mesma fé”. Mas, por mais que me esforce, não consigo suspender a razão crítica nem abdicar da condição de “espírito livre”. Apóstata?! Mas como é possível abandonar crenças não nutridas? No entanto, esforço-me para acreditar e permaneço presente com a consciência dilacerada entre a resignação e a crítica. Escuto, vejo e pondero! Silencio!

Faces envelhecidas pelo tempo, mas as mesmas! Falas que permanecem inalteradas em sua essência, personalismos disfarçados de temas acadêmicos! Vaidades tituladas! Egos inflados pela anuência acrítica! Mais do mesmo! Não obstante, louve-se o esforço dos que falam e dos que ouvem. Irmanam-se na causa, pela causa. Os diversos eus fundem-se no nós que abraça a causa. Embora eu me sinta incluído, o meu eu resiste a diluir-se no nós. Os laços de amizade são mais fortes do que este nós abstrato e metafísico. No final das contas, todos retornamos às nossas casas, às nossas consciências individuais. São as impressões e vínculos pessoais que permanecem. Se estabelecemos novas relações e as existentes foram fortalecidas, então terá valido a pena. A causa não existe fora dos indivíduos, mas neles.

Vejo a revolução decrépita rejuvenescer. As utopias das velhas gerações pulsam nos corações dos jovens e inspira a esperança. No palco do mundo, as diferentes gerações se encontram e reafirmam o devir. O jovem tímido e calado de outrora, agora me ensina não apenas conteúdos, mas, especialmente, a continuar acreditando e manter acesa a chama que aquece e nutre o viver. A esperança é utópica, e ressuscita a cada geração. Escuto-o atentamente e fico a pensar se o decepcionei. Talvez sim! De qualquer forma, alegra-me vê-lo na condição de professor. O educador precisa ser educado!

A realização do evento exige esforços e dedicação. Os que se reúnem, ouvintes e falantes, nem sempre tem a devida consciência do trabalho árduo da organização. É graças aos organizadores que tudo o mais se tornou possível. Parabéns e obrigado!

6 comentários sobre “V Simpósio Internacional Lutas Sociais na América Latina

  1. Algumas frases de efeito que foram utilizadas como “Falas que permanecem inalteradas em sua essência” e “A esperança é utópica”, me lembram o caso do “Trem da Alegria na UEM”. Uma aberração da administração pública que deu acesso à cargos de nível superior sem concurso público e que os professores não têm coragem de questionar. Pensei que você fosse alguém com coragem de fazer a critica necessária a essa situação. Os técnicos de nível médio trabalham do mesmo modo e ganham 1/3 do valor desses senhores que fazem o que querem na Instituição. O importante é que, desprezando-se a injustiça praticada aqui na UEM, pois somente eles têm acesso a recursos para participar de eventos, afastamentos para pós-graduação, além de receberem incentivos salariais por isso, eles estão ilegalmente instituídos e ninguém se pronuncia. Somos coniventes! Por que não ser conivente com a violência? Com os maus tratos também? O problema é que técnico de nível médio não vale tanto quanto aluno. Por isso defendemos o absurdo contra os alunos, mas não contra os 75% dos servidores que não estão no trem da alegria.

  2. Parabéns pelo seu desempenho… em meio a tantas superficialidades, ha uma pessoa que pensa, reflete e ver o mundo como de fato o é…..Gosto muito de seus textos.

  3. Quando leio seus textos tenho duas sensações: uma de que és um oásis no deserto esquerdista reinante. A outra, é de que a esquerda ainda possa ter salvação, tendo pessoas como você dispostas a pensar um outro mundo, livre de velhas amarras ideológicas.

  4. Sua capacidade de análise, racional e amorosa é fantástica. Agir com independência crítica e engajamento efetivo, envolvimento, escolha. Sem idolatria, um dia chego lá, ou não.
    grato, Paulo

  5. É importante que nos tempos de hoje, quando o conservadorismo e as tentativas de manter o liberalismo sejam fortes, ainda haja pessoas com dignidade para manter e propagar um espírito civil. Mais do que manter a consciência é elevar o debate da luta social e fazer com que muitas gerações continuem a tomar contato com pensamentos, ideias e conceitos, para que possam derivar outros conceitos dentro do tempo e espaço em que vivem cada indivíduo. A história não pode ser cíclica, mas este conceito de história cíclica percebemos que é uma insistência das instituições e órgãos tradicionais de nossa sociedade. O socialismo é a corrente ideológica mais humana, por isso ela sofre o dinamismo da reflexão promovida por intelectuais e líderes revolucionários conforme os períodos. Parabéns! Longa vida para as reflexões de companheiros socialistas em qualquer que seja o tempo e o espaço dos indivíduos.

  6. Parabéns, Professor.Ainda estou sem poder usar a minha mão e tendo que escrever pouco.Leio tudo que escreve e vou guardando para ler de novo, com mais calma.Abraços e fica com Deus, mestre.

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s