Dom Quixote e os perigos do amor excessivo aos livros

“Em suma, tanto naquelas leituras se enfrascou, que passava as noites de claro em claro e os dias de escuro em escuro, e assim, do pouco dormir e do muito ler, se lhe secou o cérebro, de maneira que chegou a perder o juízo. Encheu-se-lhe a fantasia de tudo que achava nos livros, assim de … Continue lendo Dom Quixote e os perigos do amor excessivo aos livros

Fahrenheit 451

Fahrenheit 451, de Ray Bradbury[1], é uma obra sobre uma sociedade na qual os livros foram proscritos, em que a simples posse de obras literárias ou filosóficas constitui crime. Nesta sociedade fictícia, que resolveu o problema dos incêndios residenciais, o trabalho dos bombeiros consiste em queimar os livros, “para evitar que suas quimeras perturbem o … Continue lendo Fahrenheit 451

Fotografia e Revolução [notas de leitura]

[LÖWY, Michael (Org.); Trad. Yuri Martins Fontes. Revoluções. São Paulo: Boitempo, 2009, 550 p.] É possível ter uma visão objetiva a partir da fotografia? Esta representa a realidade? O fotógrafo, pintor e teórico húngaro, Lásló Moholy-Nagy, em 1925, acreditava na plena objetividade da fotografia: “O aparelho fotográfico é a mais segura ferramenta que nos permite … Continue lendo Fotografia e Revolução [notas de leitura]